por José do Vale Pinheiro Feitosa




Viva junto à alma mais próxima e compreenda que a proximidade é a medida da distância. Que a distância que os separa é este movimento maravilhoso da matéria e da energia. A maravilha é apenas esta surpresa porque esta proximidade é tão diminuta entre os dois e é a inesperada distância.

José do Vale P Feitosa



segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Dorothy Lamour, com amor te matei, sereia.....José do Vale Pinheiro Feitosa

video

Dorothy Lamour é uma das mais belas canções do Pessoal do Ceará. Composta por Petrúcio Maia e Fausto Nilo, ambos os conheci nos finais dos anos 60 no ambiente da faculdade de Arquitetura em face da resistência ao arraso que o AI5 nos fizera. O Petrúcio Maia veio ao Crato em 1967 para fazer contatos com os estudantes locais. O Joaquim deve lembrar-se dele: louro, com uma barba rala, magro, recurvado para frente e com um tipo muito desconfiado. O Fausto Nilo logo depois disso foi embora para Brasília onde começou uma das mais importantes carreiras de compositor, igualável em termos de número de gravações, da diversidade dos artistas que cantaram suas canções a Chico Buarque e Noel Rosa. Fausto Nilo fez parceria com um número enorme de músicos, especialmente nordestinos além de ter pertencido à era de ouro do Carnaval Baiano dos anos 70 e 80.

Apologia a Outubro. Por Liduina Belchior.



Assim como cada idade tem seus encantos, todo mês possui os seus. Portanto o nosso Outubro é recheado de datas lindas, que são comemoradas com o mais fino sentimento. Dia 4 é o dia de São Francisco de Assis, que despojou-se de toda sua riqueza material, para ir ao encontro dos pobres, tornando-se um deles. Por amar os animais, conviver e cuidar dos mesmos, neste dia 4 também se comemora o dia deles. Os nossos "irmãos" irracionais. No dia 12 de outubro, celebra-se o dia da Mãe do Brasil: A nossa morena e querida Imaculada Conceição Aparecida, cuja imagem foi encontrada por pescadores na região de Guaratinguetá - São Paulo. Nesta mesma data, comemora-se também o dia das Crianças. Ser humano puro, inocente, em crescimento/desenvolvimento, que por ser pequenino ainda, carece do nosso apoio, do nosso cuidado, do nosso amor e da nossa paciência. A criança do adulto ( a nossa criança interior) nos faz companhia, está sempre por perto e é salutar que vez ou outra fiquemos a sós com ela, deixando vir à tona, toda simbologia do universo infantil. Meditemos sobre cada data e vivenciemos o seu lado espiritual. O mês de outubro é rico em espiritualidade.


Assunto: União Cariri - Convite]
Enviada: 03/10/2011 11:09


Prezados Amigos (as),
A UNIÃO DOS FILHOS E AMIGOS DO CARIRI, convida para a festa anual de confraternização de todos os filhos do Cariri a se realizar no Nautico Atletico Cearense, no dia 5 de novembro de 2011, a partir das 22:00 horas. A festa será animada pela banda Brasa Seis.
Esperamos você.

A DIRETORIA

Os ingressos para o II Encontro da União Cariri já estão a venda.

Contatos:

Wilton Soares(DEDÊ) (85) 9613-3936
José Alexandre:8872.8308
Delano Freitas: 9903.2283
Paceli Luna:8895.9032
Leto Rocha: 9603.0750



Será verdade ??? – José Nilton Mariano Saraiva

Na briga intestina (e mau cheirosa) pelo poder, entre os integrantes do PSB do Ceará (agremiação que abriga atualmente o Excelentíssimo Senhor Cid Gomes, Governador do Estado), a novidade – segundo o ex-presidente (???) do partido, Sérgio Novais - é que o irmão do governador, senhor Ciro Gomes, atualmente desempregado, seria nomeado “consultor político” da agremiação, percebendo um salário de mais de R$ 22.000,00 (vinte dois mil reais) mensais.
Em represália, aliados do Governador acusam o senhor Sérgio Novais de ter sacado da conta bancária do partido mais de R$ 100.000,00 (cem mil reais) sem que se saiba para que.
Será verdade ???
Será ÉTICO E MORAL tudo isso ???

o jardineiro

Trata bem das tuas plantinhas.
Não te esqueças de lavar as raízes.

Se de fato vais mesmo plantá-las
então muda a água do jarro.

Não as deixes afogadas
em uma água turva.

Se cultivas plantinhas
não esqueças -

troca a areia,
muda a água,
faz nelas
cafunés.

Não as deixes solitárias
de pé, em um terreno árido
ou afogadas em água lodosa.

Afaga tuas plantinhas.
Apara os cabelos delas.

Não as deixes furiosas.
Sob toda fúria há tanta tristeza.

Vai à tua varanda,
conversa com tuas plantinhas.

Não as ouves?

Precisas de uma gota de amor
dentro de cada ouvido.

Nega Maluca


* Ingredientes
* 3 ovos
* 1 e 1/2 xícara ( chá ) de açúcar
* 2 xícaras ( chá ) farinha de trigo
* 1 xícara ( chá ) de chocolate em pó ou achocolatado
* 1/2 xícara ( chá ) de óleo
* 1 colher ( sopa ) de fermento em pó
* 1 pitada de sal
* 1 xícara ( chá ) de água quente

* Cobertura:
* 4 colheres ( sopa ) de leite
* 1/2 xícara ( chá ) de chocolate em pó
* 1 colher ( sopa ) de manteiga
* 1 xícara ( chá ) de açúcar


* Modo de Preparo

1. Bata os ovos com o açúcar, óleo, achocolatado e farinha, depois adicione a água quente e por último o fermento em pó
2. Asse em forno com temperatura média por 40 minutos, desenforme quente

1. Cobertura:coloque todos os ingredientes em uma panela e leve ao fogo até que levante fervura, despeje ainda quente em cima do bolo

1. Informações Adicionais A receita pode ser preparada também no microondas em forma própria para esse forno. O tempo de espera é de 7 a 9 minutos na potência alta. Aguarde 20 minutos e desenforme
Uma cobertura de brigadeiro também fica divina.

 info@tudogostoso.com.br.





Minhas notícias...


Embora costume fazer registros de comportamentos, músicas e filmes de outros tempos, tenho absoluta consciência do meu presente, e sei desfrutá-lo.
Ontem foi um dia especial. Depois de muito tempo reenfrentei a estrada numa pequena viagem. Fui desenvolvendo a velocidade e consegui , com segurança, atingir a média de 80 km/h. Na chegada, o encontro com a única tia que me resta: Auri Moreira Montoril. Reconheceu-me  de imediato. Vacilou, quando achou que o Victor era meu marido. Mas falamos dos seus pais (meus avós), como se eles ainda existissem.
Estou num processo de fechamento ou mudança de ciclo, assumindo o time dos mais velhos da família.
A gente nunca imagina o quanto de felicidade, sentimento, emoção, e até solidão, existe numa linda senhora de 92 anos... Até visitá-la!
Estou com o coração leve, e muito feliz!
Até muito em breve, tia Auri!

EMILINHA BORBA- por Norma Hauer


´ASSIM SE PASSARAM 6 ANOS...
E ela partiu em 3 de outubro de 2005

Antes foram 10, mais 10, mais 10... Viver seu tempo, foi viver a mais bonita e alegre fase de nossa musica popular e de nosso rádio.

ESTA CANÇÃO
NASCEU PRÁ QUEM QUISER CANTAR
CANTA VOCÊ,CANTAMOS NÓS ATÉ CANSAR..
É SÓ BATER...
E DECORAR...
PARA RECORDAR
VOU REPETIR O SEU REFRÃO
PREPARE A MÃO...
BATA OUTRA VEZ ...
ESTE PROGRAMA PERTENCE A VOCÊS...

É a Rádio Nacional.
É o Programa César de Alencar que vai começar; as filas já têm início na Praça Mauá para que tenhamos lugar naquele auditório onde o frenesi toma conta de todos nós, sejamos o "povão", sejamos de todas as camadas sociais, sejamos os que querem se divertir ouvindo as bonitas interpretações da "Favorita da Marinha, a eterna Rainhja do Rádio, a querida EMILINHA BORBA. Ah, como era bom o rádio em sua fase de ouro!...

E o carnaval ?
"Chiquita bacana, lá da Martinica,
Se veste com uma casca de banana nanica..."

Tomara que chova, três dias sem parar..."

E lá se vai Emilinha Borba e seu séqüito de fãs sinceras, acompanhando-a em qualquer parte onde se apresenta.

"Uma vez lá em Cuba, dançando uma rumba,
Disseram que eu era...Escandalosa!"

É um carnaval que não volta mais: começava nos cassinos e foi em um cassino que
Emilinha desabrochou para o canto. Emilinha, entretanto era quase uma menina, mas já prometia ser um ícone de Virgem, seu signo de nascimento. Talvez isso a tenha tornado um ídolo popular. Em seu primeiro disco seu nome nem sequer consta da etiqueta. Cantou com Nilton Paz:

"Ioiô dá o braço p'ra Iaiá,
Iaiá dá o braço p'ra Ioiô.
O tempo de criança já passou, oi,
Pirulito que bate bate,
Pirulito que já bateu...
Quem gosta de mim é ela,
Quem gosta dela sou eu.

E aquela voz feminina, quase infantil, que "dialogava" com Ioiô. De quem era?

Era de Emilinha Borba!

Passou a ser a "Favorita da Marinha", tendo como seus fãs marinheiros e fuzileiros navais; mas também as "meninas", que os invejosos denominavam "macacas de auditório", não a abandonavam. Para elas, que todos os sábados se acotovelavam para ingressar na Rádio Nacional, Emilinha era a única. Do outro lado, Marlene era sua rival. Isso dentre suas fãs, porque as duas eram amigas. Quem não era fanático por uma, ou outra, apreciava ambas. Emilinha partiu antes, mas ambas são imortais, ambas marcaram nosso carnaval e também o então chamado "meio de ano", quando Emilinha cantava "Se queres Saber";"Dez Anos";"Cachito", alguns baiões...

"Paraíba masculina,
Mulher macho sim senhor..."

Nos últimos anos, sentindo que o povão deixava de ser personagem para ser espectador no Carnaval, passou a apresentar-se no tablado que a Prefeitura voltou a montar na Cinelândia (Cinelândia?) onde todos têm sua vez.

O de 2005 foi o derradeiro.

Da Cinelândia, da mesma Câmara dos Vereadores ela partiu a 3 de outubro de 2005, para a viagem sem volta, depois de venerada pela última vez antes de se tornar UMA
SAUDADE.

Norma

ORLANDO SILVA- Norma Hauer


O dia era 3 de outubro, o ano 1915 ; nessa data nasceu um dos maiores fenômenos da música popular de nossa terra: ORLANDO SILVA.
Desde suas primeiras gravações já deixou sua marca. Estreou na extinta Rádio Cajuti, levado por Francisco Alves que, em 1934, tinha um programa na emissora. Chico Alves apoiou-o logo de saída para que ele "derrubasse" o prestígio de Silvio Caldas, por ter a voz semelhante à de Sílvio. Só que ele surpreendeu: não só passou a ter mais prestígio que Sílvio, como até Chico Alves "balançou" com o fenômeno ORLANDO SILVA.
Suas primeiras gravações na RCA Victor foram duas composições de Cândido das Neves:"Lágrimas" e "Última Estrofe". Antes, gravara na Colúmbia um “gingle” para o lançamento do "Chope da Brahma", exatamente com esse título e da autoria de Ari Barroso. É... muito antes de Zeca Pagodinho, um cantor então iniciante fez apologia da Brahma . Embora os tempos fossem outros (não havia televisão) o lançamento foi
um sucesso. Estreando, em seguida, na Victor, Orlando gravou aquelas composições de Cândido das Neves e, em seguida, "No Quilômetro 2". A Victor, como se tratava de um cantor novo, fez mais fé neste samba, lançando-o primeiro no mercado discográfico. Só que sua interpretação nas músicas de Cândido das Neves mostraram sua grande sensibilidade como cantor e apareceram mais do que "No Quilômetro 2".
Foi, porém, com "Lábios que Beijei", de J.Cascata e Leonel Azevedo" que ele ficou conhecido em todo o Brasil como "O Cantor das Multidões", cognome que lhe foi dado por Oduvaldo Cosi depois de uma apresentação sua no Largo da Concórdia, em São Paulo.
Quase tudo que Orlando Silva gravou foi sucesso, tanto no terreno romântico, como no carnaval

O dia era 3 de outubro, o ano 1915 ; nessa data nasceu um dos maiores fenômenos da música popular de nossa terra: ORLANDO SILVA.
Desde suas primeiras gravações já deixou sua marca. Estreou na extinta Rádio Cajuti, levado por Francisco Alves que, em 1934, tinha um programa na emissora. Chico Alves apoiou-o logo de saída para que ele "derrubasse" o prestígio de Silvio Caldas, por ter a voz semelhante à de Sílvio. Só que ele surpreendeu: não só passou a ter mais prestígio que Sílvio, como até Chico Alves "balançou" com o fenômeno ORLANDO SILVA.
Suas primeiras gravações na RCA Victor foram duas composições de Cândido das Neves:"Lágrimas" e "Última Estrofe". Antes, gravara na Colúmbia um “gingle” para o lançamento do "Chope da Brahma", exatamente com esse título e da autoria de Ari Barroso. É... muito antes de Zeca Pagodinho, um cantor então iniciante fez apologia da Brahma . Embora os tempos fossem outros (não havia televisão) o lançamento foi
um sucesso. Estreando, em seguida, na Victor, Orlando gravou aquelas composições de Cândido das Neves e, em seguida, "No Quilômetro 2". A Victor, como se tratava de um cantor novo, fez mais fé neste samba, lançando-o primeiro no mercado discográfico. Só que sua interpretação nas músicas de Cândido das Neves mostraram sua grande sensibilidade como cantor e apareceram mais do que "No Quilômetro 2".
Foi, porém, com "Lábios que Beijei", de J.Cascata e Leonel Azevedo" que ele ficou conhecido em todo o Brasil como "O Cantor das Multidões", cognome que lhe foi dado por Oduvaldo Cosi depois de uma apresentação sua no Largo da Concórdia, em São Paulo.
Quase tudo que Orlando Silva gravou foi sucesso, tanto no terreno romântico, como no carnaval

Já com "Rosa" aconteceu algo que só anos mais tarde chegou ao conhecimento do público.Essa também era uma música dos anos 10, que não tinha letra. Orlando, achando-a lindíssima, pediu a Pixinguinha para gravá-la. E o fez, aparecendo no disco somente o nome de Pixinguinha. Mas...aí surge Paulo Tapajós, um dos maiores pesquisadores de música popular que este país já teve. Paulo, entrevistando Pixinguinha para um depoimento no Museu da Imagem e do Som, perguntou-lhe "Pixinga, você não é letrista, quem compôs a letra de "Rosa"? Pixinguinha confessou que foi um rapaz modesto (Octavio de Souza), que já falecera e que trabalhara nas oficinas da Central do Brasil, ali, onde hoje é o "Engenhão".
Só a partir daí ficou-se sabendo o nome do letrista de uma das mais bonitas letras
que fizeram parte de nossa música. E isso graças a Paulo Tapajós.
Não sei se esses casos constam de algum site sobre ORLANDO SILVA ou sobre Pixinguinha, mas o caso de "Rosa" ouvi-o do próprio Paulo Tapajós

Ainda sobre a música "Rosa", gostaria de informar que essa era a de que mais sua mãe gostava. Depois de seu falecimento, Orlando não podia cantar essa melodia sem chorar. Ele era muito sentimental e adorava sua mãe. Assim era difícil, para ele, cantar "Rosa".
Só para citar, algumas gravações de Orlando que marcaram muito sua carreira: "Nada Além" e "Enquanto Houver Saudades", ambas de Mário Lago e Custódio Mesquita (as primeiras da parceria);"Súplica"(aquela, cuja letra não tem rima); "Caprichos do Destino"; "Por quanto Tempo ainda";"Dá-me tuas Mãos"; "Por Ti"; "Uma Lágrima, uma Dor, uma Saudade"; "Lágrimas de Rosa"; "Página de Dor"; "Apoteose do Amor"; "A Jardineira"; "O Pranto Meu Ninguém Vê"; "Cidade Brinquedo" e "Cidade Mulher"(ambas exaltando o Corcovado): "O Meu Pranto Ninguém Vê"... estas últimas para os carnavais nos quais ele era sempre o mais ouvido.

A data de seu falecimento (7 de agosto) foi seguida à do Papa Paulo VI (dia 6). Assim, a cidade amanheceu de luto, como é comum acontecer quando morre um chefe de estado. Que aconteceu?
O féretro de Orlando deixou a sede do Flamengo, no Morro da Viúva, onde foi velado, seguido de um séquito de fãs, admiradores e jornalistas, para o Cemitério de São João Batista.
Do alto do Morro do Pasmado, a bandeira a tremular a meio pau, mais parecia uma homenagem a ORLANDO SILVA.
Hoje seu corpo encontra-se no Cemitério de São Francisco Xavier, para onde foi trasladado por ordem de sua esposa Lourdes, que por sinal faleceu pouco tempo depois.

Só para lembrar, a letra de seu primeiro grande sucesso:

LÁBIOS QUE BEIJEI

Lábios que eu beijei,
Mãos que eu afaguei
Numa noite de luar assim.
O mar na solidão bramia
E o vento a solicitar pedia,
Que fosses sincera para mim.

Nada tu ouviste
E logo partiste
Para os braços de outro amor.
Eu fiquei chorando,
Minha mágoa cantando
Com a estátua perenal da dor.

Passo o dia soluçando com meu pinho
Carpindo a minha dor sozinho
Sem esperança de vê-la jamais...
Deus, tem compaixão deste infeliz.
Porque sofrer assim ?
Compadecei-vos de meus ais.

Tua imagem permanece imaculada
Em minha retina cansada
Por chorar por teu amor.
Lábios que beijei,
Mãos que eu afaguei
Volta, dá lenitivo a minha dor

Norma