por José do Vale Pinheiro Feitosa




Viva junto à alma mais próxima e compreenda que a proximidade é a medida da distância. Que a distância que os separa é este movimento maravilhoso da matéria e da energia. A maravilha é apenas esta surpresa porque esta proximidade é tão diminuta entre os dois e é a inesperada distância.

José do Vale P Feitosa



domingo, 25 de março de 2012


Ainda Somos a Mesma Planta- José do Vale Pinheiro Feitosa


Justamente hoje quando se despetala
As partes antes de um todo na flor
Nos demos conta que o receptáculo,
Ainda é a flor despetalada.
Mesmo que os carpelos se frutificaram,
Os estames já soltaram todo o seu pólen,
E as sépalas desfizeram seu cálice,
Ainda somos um pedúnculo da mesma flor
Uma pétala em atração do solo
Notifica-se a identidade achada
Luzanira, Ninete, Zélia, Gisélia.

A cidade e o futuro - Por José de Arimatéa dos Santos

O ano promete devido as eleições de outubro em que serão eleitos prefeito e vereadores para mais quatro anos e por enquanto o barulho na cidade é só na surdina das reuniões políticas em que todos os partidos se tratam, por enquanto, respeitosamente. Não se ouve pretensos pré-candidatos falar de outro de partido diferente ou do partido a qual se encontra filiado. Isso significa que partidos ditos de esquerda podem está juntos com partidos de perfil conservador e que tem programa distintos. Vale somente conquistar o poder.
Isso demonstra a falta de ideologia política que infelizmente, com raríssimas exceções, as legendas políticas não têm mais. As coligações são feitas ao sabor do oportunismo e para quando estiverem no poder fazerem  o loteamento de secretarias e administrar corretamente fica cada vez mais difícil. O exemplo mais recorrente se vê em Brasília em que os ministérios parecem feudos dos partidos da dita "base aliada".
Vejo que se discutem nomes e não projetos para a cidade. O município carente de desenvolvimento em que seus jovens possam vislumbrar um amanhã mais claro, de oportunidades e que a cidade se transforme num local em que o alcaide tenha a capacidade de ser o verdadeiro vetor desse desenvolvimento.
Dou risada da incompetência e falta de visão política de alguns que para ser candidato a prefeito tem que cumprir certas prerrogativas esdrúxulas que escondem o pano de fundo que na verdade a escolha desses candidatos passam somente em ter dinheiro para gastar na eleição. Isso não é bom. Vide os exemplos recorrentes.
Só espero que este ano o eleito seja um indivíduo com uma mínima visão de democracia e administre a nossa cidade de forma transparente, trabalhe para o ser humano, tenha ética e que seja aquele governante trepidante que vá para rua fiscalizar as obras e conversar com os cidadãos. Trabalhe o presente de uma forma que esteja a preparar o futuro da cidade.

Ainda Somos a Mesma Planta - José do Vale Pinheiro Feitosa

video

Este poema em homenagem à mãe de José Flávio, Vicente e Luciano Pinheiro Vieira se acompanha do movimento 18 da Rapsódia sobre um Tema de Paganini de Rachmaninoff. O tema de Paganini é o famoso Capricho 24 de um série de 24 Caprichos compostos pelo músico italiano. Este Capricho 24 é considerada uma das peças mais difíceis já escritas para violino solo. Por isso despertou nos compositores um verdadeiro afã de compor variações sobre o tema deste capricho. Foram mais de quarenta compositores, entre eles, além de Rachmaninoff, também Listz, Bramhs e Schumann. Sem contar inúmeros compositores populares, inclusive bandas de rock metaleira.

Em outras palavras todos são o mesmo corpo em Paganini.