por José do Vale Pinheiro Feitosa




Viva junto à alma mais próxima e compreenda que a proximidade é a medida da distância. Que a distância que os separa é este movimento maravilhoso da matéria e da energia. A maravilha é apenas esta surpresa porque esta proximidade é tão diminuta entre os dois e é a inesperada distância.

José do Vale P Feitosa



quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Perdoa se um dia tentei te esquecer - José do Vale Pinheiro Feitosa

video

A música "querida", aqui com Moacir Franco foi composta pelo músico americano Bob Russel e o cantor Bobby Goldsboro fez sucesso com ela. Se é verdade que as ondas de rádio se perdem no espaço e fazem uma viagem ao cosmo, por certo as ondas da Rádio Araripe e da Educadora levam esta canção como se nunca o tempo entre o Crato e aqui tivesse acontecido. 

4 comentários:

socorro moreira disse...

Existem tantas músicas que recordam o Crato da nossa geração...
Notas e poesias estão internalizadas na memória, e misturadas com a nossa essência.
Queria muito ter sido sua amiga naqueles tempos, mas os nossos referenciais musicais são os mesmos.
Nos jogos de inverno, duas trilhas sonoras são a cara do Crato:Noites de Moscou e concerto nr.1 de Tchaikovsky‎.
Sabe por que?

José do Vale Pinheiro Feitosa disse...

Imagino em parte. O Concerto N 1 era a abertura da Rádio Educadora. De qualquer modo a música é uma chave poderosa a dar sentido de identidade ao tempo. Sem este sentido a vida seria apenas flashs e fragmentos.

socorro moreira disse...

O poema do teu vídeo é demais!
Leio, e releio!

A Rádio Educadora foi palco de muitos encontros/emoções.
Na década de sessenta as adolescentes adoravam dançar.A gente ligava a vitrola/radiola e aproveitava cada vinil que era lançado.Ray Conniff era um dos preferidos.Aprendemos a dançar ouvindo Noites de Moscou, entre outras.
Mês de fevereiro me faz recordar um Crato chuvoso,que comprometia volteadas na praça.O velho Cassino nos acolhia, e a chuva passava...
Cadê nosso tempo?Ele vive nas paralelas de uma realidade madura, mas sempre mesclada de adolescências.
A música é linguagem do arrepio.
- A poesia também!


socorro moreira disse...

Retorno ao vídeo.Essa música tem ligação direta com o tempo em que fui filha.Saudades da minha mãe.